Gerência de Cálculos e Precatórios proporciona economia de R$ 74 mi em três meses

A atuação da Gerência de Cálculos e Precatórios da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) proporcionou uma economia de R$ 73,85 milhões ao Tesouro Estadual no primeiro trimestre deste ano. Dos 896 processos em que os servidores da Gerência atuaram de janeiro a março deste ano, 483 tinham valores reclamados superiores ao devido, o que representa um total de 53,9%.O valor inicial (pedido pelas partes) total no período era de R$ 99,39 milhões, mas os cálculos fundamentados apontaram o valor total de R$ 25,53 milhões, o que representa uma economia de 74,30% para os cofres do Estado, o que é mais significativo quando se considera a situação de calamidade pública enfrentada por Goiás, agravada pela pandemia de covid-19.

Gerente de Cálculos e Precatórios da PGE, Edson Ferreira da Silva parabeniza a equipe responsável. “Mesmo em teletrabalho, por causa da pandemia, ela manteve-se focada em desempenhar suas funções com o mesmo afinco e consciência de que toda e qualquer economia é muito bem-vinda para o Estado”, afirma Edson. No período de 18 a 31 de março, em que os servidores já estavam trabalhando em home office, foram analisados 107 processos.

Atualmente, há 172 processos em avaliação na Gerência de Cálculos e Precatórios. No primeiro trimestre, não houve nenhum acordo direto. O principal trabalho da Gerência é fundamentar os cálculos que são feitos, demonstrando em juízo que eles têm embasamento técnico e legal, com fundamento na legislação que rege as dívidas da fazenda pública.