Histórias da PGE: Servidor do Cejur é exemplo de superação

Carlos Tavares desafiou a paralisia infantil e fez da doença um estímulo pra vida


 

É difícil encontrar alguém que trabalhe na Procuradoria-Geral do Estado e não conheça o servidor Carlos Tavares da Silva, ou simplesmente o Carlos do Centro de Estudos Jurídicos (CEJUR). Na PGE há quase seis anos, ele é o responsável pelas postagens e atualizações no site da instituição e ainda atua como apoio administrativo.

Carlos é funcionário público desde 2006 quando foi aprovado no concurso da antiga AGANP, hoje SEAD – Secretaria de Estado da Administração do Estado de Goiás. Ele foi aprovado para o cargo de Técnico em Gestão Pública – TI, nas vagas destinadas a portadores de necessidades especiais e anos depois foi transferido para a Procuradoria.

Desta vez o “Histórias da PGE” fala sobre um exemplo de superação. Aos 9 meses de vida, o Carlos teve poliomielite, popularmente conhecida como paralisia infantil. A doença afetou o movimento da perna direita e ele precisa de um aparelho para conseguir andar. A dificuldade física nunca foi fator decisivo para que ele tivesse uma vida limitada. Muito pelo contrário. Ele transformou suas limitações físicas em estímulo para conseguir vencer os desafios do dia a dia e seguir a vida normalmente.

Pra se ter uma ideia, em seu currículo constam 9 anos de trabalho na Caixa Econômica Federal e outros 8, na Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia. Acrescente-se a isso o bacharelado em Teologia e os vários cursos técnicos feitos na Escola de Governo como eneagrama, redação oficial e coaching. “Penso que a vida é muito mais do que uma limitação física, a deficiência nunca me impediu de querer realizar os meus sonhos e correr atrás dos meus objetivos. A vida está aí e precisa ser vivida da melhor forma. Vir pra PGE há quase 6 anos foi um divisor de águas pra mim, pude aprender muito profissionalmente e cresci muito como ser humano”, afirma Carlos Tavares.

Muito disposto, ele está sempre envolvido nos trabalhos realizados pelo CEJUR. Faz questão de colaborar com as demandas e com os colegas. Pra quem começou a vivenciar os desafios da vida aos 9 meses, Carlos é um grande exemplo de que não devemos parar diante das dificuldades. “Creio que a vida sempre tem muito a nos oferecer, independente das circunstâncias, a fé em Deus tem que prevalecer porque pra Ele nada é impossível. A gente pode chegar onde quiser, basta querer. Eu não parei no primeiro obstáculo que me apareceu. Apesar de muito pequeno, transformei o meu problema em combustível pra vida”, diz.

Com uma história tão rica, hoje nosso personagem da “Histórias da PGE” faz a postagem desta matéria que conta sobre sua própria vida. A postagem é especial para ele e mais ainda para a PGE, que tem a sorte de tê-lo no quadro de servidores.

Parabéns Carlos. Você merece esse reconhecimento e faz a diferença na PGE!

Talíta Carvalho
Comunicação Setorial PGE